Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 3:16

Busca

Polícia

Acidente fatal na BR-116: uma das vítimas era de Vargem Alegre

Até a tarde de ontem tragédia já contabilizava nove mortos

A Polícia Rodoviária Federal de Leopoldina e o Corpo de Bombeiros de Muriaé divulgaram, na manhã de ontem, um balanço do acidente que aconteceu na tarde de segunda-feira (29) envolvendo uma carreta bitrem e mais cinco veículos. O acidente aconteceu na BR-116, entre as cidades de Leopoldina e Além Paraíba.
Foram confirmadas nove mortes. Uma das vítimas é Elisa Dias da Costa, moradora Vargem Alegre. Ela voltava da cidade com mais quatro amigas. Todas estiveram no último final de semana participando da Festa do Arroz. Das cinco pessoas que seguiam no automóvel, três morreram, uma está internada no hospital de Além Paraíba e outra segue internada na Casa de Caridade Leopoldinense em estado grave.
DNA
Segundo informações, já foram identificados os corpos de Celina Aparecida Mateus e a filha Helena Fernandes Mateus, de Simonésia.
De acordo com o jornal Foco Regional, de Volta Redonda, entre as vítimas estão três universitárias de medicina do UniFOA (Centro Universitário de Volta Redonda) que voltavam da Festa do Arroz, acontecida em Vargem Alegre no último final de semana: Elisa Dias da Costa, de Vargem Alegre; Mariana Mascarenhas Pereira, de Volta Redonda (RJ), e Ana Paula Ruy Cotrim Araújo, de Cruzeiro (SP).  A identificação dos outros corpos será feita por exame de DNA, devido à carbonização e a destruição dos documentos.
No carro também seguiam Laiz Laiane de Souza Junqueira, de 22 anos, natural do Rio de Janeiro, e Mariana Gomes Porto dos Santos, 24 anos e nascida em Taubaté. Laiz foi levada para o Hospital São Salvador, em Além Paraíba. Segundo a família, ela sofreu escoriações e fraturou costelas. Já Mariana Gomes, até a tarde de ontem, continuava internada em estado grave na Casa de Caridade Leopoldinense. A estudante teve 95% do corpo queimado. Está informação foi confirmada pela Assessoria de Imprensa do UniFOA (Centro Universitário de Volta Redonda).
Elisa Costa e Mariana Mascarenhas, durante todo o ano passado, prestaram atendimento no Resgate da Guarda Municipal de Volta Redonda. Ao saber da tragédia, o comandante da corporação, Luiz Henrique Monteiro Barbosa, divulgou nota de solidariedade às famílias. “Elas, assim como todos os outros resgatistas, trabalharam durante todo o ano com afinco, presteza e dedicação, além de fazer parte da nossa corporação, conquistando amizade e colaboração mútua. Estamos muitos tristes e consternados com essa trágica noticia e queremos externar as nossas condolências às famílias de todos os envolvidos, em especial as nossas socorristas”, declarou.
Dentre os outros feridos estão um homem que foi transferido para o Hospital Monte Sinai em Juiz de Fora. Outro paciente aguardava transferência para um centro de queimados. Os outros seis feridos estavam em observação, e, segundo o hospital não corriam risco.
O acidente
Envolveram-se no acidente, um Corsa sedan, placa CSP-0673 de São José dos Campos (SP); um Hyundai HB20, placa FKU-9457,  de Taubaté (SP); um Ecosport, placa KVF-6390,  do Rio de Janeiro;  um Fiat Uno placa IMN-9852, também do Rio de Janeiro e um Ford Focus, placa HOB 6656, de Juiz de Fora e a carreta placa HXN-8097 de Manhuaçu.
Testemunhas disseram que a carreta tombou em uma curva, se arrastou pela contramão atingindo os cinco veículos; três pegaram fogo. A carreta estava carregada com combustível e vinha do Rio de Janeiro para descarregar próximo a Manhuaçu.

Fonte: Rádio Muriaé e Jornal Foco Regional/Volta Redonda

 

Elisa Costa é uma das vítimas. Ela voltava da Festa do Arroz com mais quatro amigas (foto: rede social)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mariana Gomes, até a tarde ontem estava internada em estado grave. Ela, Elisa Costa, Mariana Mascarenhas e Ana Paula Araújo eram estudantes de medicina de uma faculdade de Volta Redonda/RJ (fotos: redes sociais)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Celina Aparecida Mateus e a filha Helena Fernandes Mateus, de Simonésia, também morreram no acidente (foto: rede social)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bombeiros trabalharam para extinguir os focos de incêndio (foto: Leopoldinense.com.br)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pista da BR-116 apresentou um cenário de destruição (foto: Leopoldinense.com.br)

Facebook